Constitution du comité brésilien pour la paix au Venezuela;
Plus de 40 organisations, parmi lesquels le PT et la CUT, centrale unique ouvrière lancent un appel à défendre la souveraineté du peuple du Venezuela contre l’ingérence impérialiste.
Elles affirment la légitimité de l’Assemblée nationale constituante, élue malgré la campagne de boycott et les violences organisées pour interdire au peuple vénezuelien de s’exprimer librement
Elles dénoncent Temer le putschiste porté au pouvoir par un coup d’Etat et l’ensemble des gouvernements qui tentent d’organiser l’isolement du Venezuela.
Le comité ouvrier international, ainsi que d’autres organisations ont traduit cet appel et le font circuler dans le monde, pour que les travailleurs et les organisations de tous pays et de toutes tendances se dressent contre l’ingérence impérialiste et en défense du droit du peuple du Venezuela a disposer librement de son sort

L’appel paru sur le site du PT ET LE Manifeste adopté

TEXTE ORIGINAL

 

Na última segunda-feira (31), São Paulo foi palco do lançamento do Comitê Brasileiro pela Paz na Venezuela. Na oportunidade, estiveram presentes 41 pessoas representando 28 entidades entre partidos políticos, sindicatos, mídia anti-hegemônica, movimentos sociais, entre outros para prestar solidariedade aos irmãos e irmãs bolivarianas vítimas de constantes ataques externos e midiáticos. São eles: Seção Brasileira dos Movimentos Sociais da ALBA, Brasil de Fato, Brasil Justo para todos e para Lula, Caros Amigos, Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Central Única dos Trabalhadores (CUT), Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos e Luta pela Paz (Cebrapaz), Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé, Conselho Mundial da Paz (CMP), Consulta Popular, Democracia no Ar, Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC), Fundação Perseu Abramo, Instituto Astrojildo Pereira, Intersindical – Central da Classe Trabalhadora, Jornalistas Livres, Levante Popular da Juventude, Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), Opera Mundi, Partido Comunista do Brasil (PCdoB), Partido dos Trabalhadores (PT), Resistência, Sindicato dos Arquitetos, Sindicato dos Bancários de Santos, União Brasileira de Mulheres (UBM), União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES), União da Juventude Socialista (UJS) e a União Nacional dos Estudantes (UNE).

Para além do lançamento do Comitê, foi deliberado que haverá ações de solidariedade e esclarecimento sobre a situação venezuelana. A primeira delas se deu por meio do lançamento do Manifesto pela Paz na Venezuela.

Leia a íntegra:

MANIFESTO PELA PAZ NA VENEZUELA

O povo venezuelano, livre e soberano, retomou em suas mãos o poder originário, elegendo massivamente representantes para a Assembleia Nacional Constituinte.

Mais de oito milhões compareceram às urnas, apesar do boicote e da sabotagem de grupos antidemocráticos, em um processo acompanhado por personalidades jurídicas e políticas internacionais que atestaram lisura e transparência.

Todas as cidades, classes e setores estão presentes, com seus delegados, na máxima instituição da democracia venezuelana.

A Constituinte é o caminho para a paz e a normalidade, para retomar o caminho do desenvolvimento e da prosperidade, para superar a crise institucional e construir um programa que reunifique a pátria vizinha.

De forma pacífica e democrática, milhões de cidadãos e cidadãs disseram não aos bandos terroristas, às elites mesquinhas, aos golpistas e à ingerência de outros governos.

Homens e mulheres de bem, no mundo todo, devem celebrar esse gesto histórico de autodeterminação da Venezuela, repudiando as ameaças intervencionistas e se somando a uma grande corrente de solidariedade.

Também no Brasil se farão ouvir as vozes que rechaçam a violência e a sabotagem contra o governo legítimo do presidente Nicolás Maduro.

Qual moral tem um usurpador como Michel Temer para falar em democracia, violando a própria Constituição de nosso país, ao adotar posições que ofendem a independência venezuelana?

O Brasil não pode passar pela infâmia de se aliar a governos que conspiram contra uma nação livre e se associam a facções dedicadas a tomar o poder de assalto, apelando para o caos e a coação.

Convocamos todos os brasileiros e brasileiras à defesa da democracia e da autodeterminação de nossos irmãos venezuelanos, ao seu direito de viver em paz e a definir o próprio destino.

Repudiamos as manobras de bloqueio e agressão que estão sendo tramadas nas sombras da Organização dos Estados Americanos (OEA), sob a batuta da Casa Branca e com a cumplicidade do governo golpista de nosso país.

Denunciamos o comportamento repulsivo dos meios de comunicação que manipulam informações e atropelam a verdade, para servir a um plano de desestabilização e isolamento.

Declaramos nossa solidariedade ao bravo povo de Bolívar. Sua luta pela paz também é nossa.

COMITÊ BRASILEIRO PELA PAZ NA VENEZUELA

Aquelas e aqueles que desejarem assinar o manifesto, pedimos para enviar as adesões para o e-mail paznavenezuelabr@gmail.com.

Seguimos na luta, por uma Venezuela livre e soberana!

defense-du-venezuela
Le rassemblement à Paris, 9 Août 2017, devant l’Ambassade du Venezuela